A Origem da Família Freire

As lutas para expulsão dos mouros da Península Ibérica geraram um sentimento de religiosidade, provocando uma divisão global entre cristãos e muçulmanos. Criando-se vários reinos isolados nas terras que hoje representam as nações de Portugal e de Espanha.

O reino de Leão, região que corresponde hoje ao extremo norte da Espanha, era dividido em ducados, onde fazia parte daquele reino o ducado de Portu-Callis e o ducado da Galiza. "Dois fidalgos franceses, D. Raimundo, filho do Conde de Borgonha e D. Henrique, seu primo, ofereceram-se a Afonso VI, rei de Leão, para combater na guerra contra os mouros, talvez em retribuição aos serviços de guerra prestados pelos dois primos, ou por qualquer outra causa, Afonso VI casou sua filha legítima, D. Urraca com Raimundo e sua filha bastarda, D. Tereza com Henrique. D. Raimundo recebeu o governo da Galiza e Henrique o condado de Portu-Callis" (A. Souto Maior, História do Brasil, página 17).

No século XI fundaram-se as associações religiosas de cavaleiros, ditas Ordens Militares, cujos membros, na linguagem da Igreja, se chamavam fratres, e cada um deles frater (m). Esta palavra entrou na linguagem do povo como nome da realidade que então aparecia, o cavaleiro fraternizado nas Ordens Militares, e, conforme circunstâncias de tempo e de lugar, no território português foi evolucionando foneticamente para formas afins da forma "Freire" que sobre as demais vingou como nome comum desses cavaleiros, e para a forma "Frei" como nome prepositivo a qualificar o nome próprio dos mesmos cavaleiros.

Entre os cavaleiros franceses que vindos da França, acompanharam D. Raimundo e D. Henrique, soldados que constituíram os '"Freire, família da antiga Galiza, que se reuniu à dos Andrade, quase no princípio, ligando-se depois, por novos laços matrimoniais tão repetidas vezes que é, difícil distinguir uma da outra. Estas uniões fizeram uma só família, a dos Freire de Andrade, que passou a Portugal na idade média. Uns usam os dois apelidos reunidos, outros só o de Andrade ou só de Freire, sendo a este, conforme parece que pertenciam as armas (brasão de nobreza) com a banda, abocada pelas cabeças de serpe (Enciclopédia Portuguesa e Brasileira).

Afonso I, rei de Portugal em 1065, forma na cidade de Évora, uma ordem de cavalaria com o nome "Ordem dos Cavaleiros Freire de Évora" que tinha por objetivo combater os mouros. Esta ordem sofreu, posteriormente, uma unificação com a Ordem dos Cavaleiros de Calatrava, criada em 1158 na Espanha e introduzida em Portugal em 1166, que por sua vez, teve seus bens transferidos para a Ordem dos Cavaleiros de Avís que deu origem a uma das dinastias de reis de Portugal" (Enciclopédia Mirador Internacional, volume 9, página 4457).

No ritual de iniciação dos magos, faz-se o seguinte juramento: "Venho diante de Deus, e diante de vós e diante dos Freires"... Dando a entender que aquele ritual de iniciação de magia, ocorreu no Castillo de Los Templários (Castelo este que pertenceu a Ordem dos Freires) na cidade de Ponferrada, na Galícia (foto).

Fonte:
Ponferrada (Galicia)

 

Última atualização: 05/03/2006

Retorna Página Anterior